|
|

Mercado de privados: como funciona o setor fora da bolsa

Essas modalidades do mercado privado têm atraído cada vez mais a atenção de investidores em busca de oportunidades lucrativas e inovadoras.

Compartilhe

Composto por diversos tipos de ativos e com grande potencial de exponencialidade, o mercado de privadoscomposto por modalidades como private equity, venture capital, equity crowdfunding e mais – se encontra fora da bolsa

Por que é importante: o mercado de privados passa por um processo de disseminação e democratização no Brasil, atraindo mais atenção de investidores com capital mais limitado, uma vez que super-ricos fazem parte desse setor há mais tempo.  

Tudo o que você vai aprender neste blog:

  1. O que é e como funciona o mercado de privados?
  2. Quais as diferenças em relação ao mercado público?
  3. Conheça o private equity e o venture capital 
  4. Outros tipos de ativos 
  5. Diversificação de portfólio com privados 
  • O que é e como funciona o mercado de privados?

As transações no mercado de privados são realizadas diretamente entre investidores e empresas.

Em detalhes: ao contrário das empresas listadas em bolsa, as companhias desse setor enfrentam menos regulamentações e exigências de divulgação de resultados.

  • O valor das empresas privadas é subjetivo, enquanto o das companhias públicas é definido pelo mercado.
  • Com o longo prazo em foco, as companhias são capazes de implementar com mais calma uma estratégia de sucesso e bem estruturada, sem ter que lidar com a oscilação diária do mercado financeiro e com a reação a divulgação de seus documentos trimestrais.
  • Isso proporciona maior agilidade nas decisões e menos burocracia.

Os dados: Brasil recebeu quase R$ 2 bilhões em investimentos de venture capital – um dos ativos do mercado privado – no 3° trimestre de 2023, em 62 rodadas.

Se aprofunde em privados | Venture capital: entenda o que é e como funciona esse investimento e Private equity: o que é e como funciona esse investimento privado?

  • Quais as diferenças em relação ao mercado público?

Panorama geral: o nível de transparência entre o mercado de privados e públicos têm papel importante na sua diferenciação. 

  • Companhias públicas precisam prestar contas regularmente aos investidores e órgãos reguladores. Em linhas gerais, são informações sobre demonstração de resultados, balanços patrimoniais, fluxo de caixa, entre outras.

No mercado público, os resultados requeridos pelas empresas e investidores tendem a ser mais imediatistas.

Explore outros conteúdos | Startup: o que é e como investir? e O que é um unicórnio e como o venture capital pode ajudar em sua evolução

  • Conheça o private equity e o venture capital 

Ambos os tipos de investimento privado focam na captação de recursos para financiar o crescimento de empresas privadas.

  • O private equity procura por empresas mais maduras e consolidadas em seu setor, enquanto o venture capital mira em startups, ou seja, negócios em fase inicial de maturação (e normalmente com um cunho tecnológico).

  • Essas modalidades têm atraído cada vez mais a atenção de investidores em busca de oportunidades lucrativas e inovadoras.

  • No entanto, é importante esclarecer que, nesse universo de alto potencial de crescimento, existem riscos significativos que podem resultar em resultados desfavoráveis e prejuízos. 

Dando o zoom: a interação entre o private equity e venture capital, que combina a inovação das startups e o crescimento de empresas mais maduras, está dando uma nova forma aos mais diversos setores da economia brasileira.

  • O agronegócio, por exemplo, vem se beneficiando dos impactos da tecnologia desenvolvida pelas agtechs, colecionando diversas dores do mercado e otimizando a produtividade. 
  • Outros tipos de ativos 

O mercado privado é composto por outros ativos, além do private equity e venture capital. Entre eles, podemos citar o investimento anjo e equity crowdfunding – outros tipos de capital de risco. 

O investimento anjo – que envolve investidores com mais experiência – é uma das principais fontes de capital das empresas mais jovens, contribuindo não só de forma financeira, mas também compartilhando networking e experiência. 

Leia mais | Como o venture capital e as fintechs ajudam a revolucionar o mercado de privados e Investimentos alternativos: vale a pena investir nessa classe de ativos?

No equity crowdfunding, são recolhidos aportes (contribuições individuais de várias pessoas) por meio de uma plataforma online, permitindo que empresas – ou projetos – consigam financiamento sem recorrer a grandes investidores ou instituições financeiras tradicionais.

  • Diversificação de portfólio com privados

Por ter baixa correlação com outros ativos na carteira e não sofrerem tanto com as oscilações do mercado em geral – por conta do foco no longo prazo – são boas alternativas para manter o patrimônio protegido.

  • Isso traz uma estabilidade importantíssima para portfólios de investimentos que tenham uma porcentagem reservada aos investimentos privados, sendo um diferencial para manter a carteira segura mesmo em tempos conturbados. 

Em perspectiva: ao contrário das ações, onde qualquer pessoa pode comprar um pedaço de empresas listadas publicamente, os privados permitem acesso a negócios com alto potencial de crescimento e retorno, que normalmente não estão disponíveis para o público em geral.

É importante ressaltar que todos os tipos de investimento citados acima precisam ser analisados de acordo com cada perfil e objetivo do investidor. 

Leia antes de sair | Private equity: gere riqueza através desse investimento e Fundos de private equity: entenda sua importância para a evolução de empresas

Comece já a investir no mercado privado

Publicado por Equipe DXA Invest.

Agradecemos pelo interesse! Entraremos em contato em breve.
Não foi possível enviar! Por favor, tente novamente.
PT